:: BANNER ::

Image Map

terça-feira, 28 de maio de 2013

Mais sobre mim



Eu me chamo Letícia Mucci Corrêa, tenho 15 anos e moro numa pacata cidade no interior de São Paulo. Adoro festas, adoro ler. Tenho um talento, pelo qual pessoas já me criticaram e já me deram o maior apoio também: Escrever. Alguns me deixavam mal, dizendo que não era bom o bastante. E outros me diziam que meus textos eram maravilhosos. Acabava que eu sempre acreditava no primeiro tipo de pessoa e queimava, riscava meus textos. Ou então fazia-os e publicava anonimamente em algum lugar. E acabava que sempre outra pessoa pegava-o e se dizia autora dele. Eu sou uma pessoa totalmente da paz: Odeio brigas. O-d-e-i-o! Principalmente se é comigo. Tento evitar ao máximo, e agressão física, jamais! O meu maior problema sempre foi me importar muito com o que as pessoas dizem, já que é coisa de família. Minha mãe sempre foi -e ainda é- do tipo que não me deixa decidir por mim mesma o que fazer, já que "imagina o que a vizinha do amigo do seu tio vai pensar" e isso é realmente, um saco. Se eu pudesse, me livrava desse "vício". Mas é inevitável! 

Sempre fui muito elétrica, de bem com a vida, do tipo de fala alto, do tipo que nunca vai conseguir ser a garota quietinha e muita gente me repreendia por isso. "Seja mais delicada" "Fale mais baixo" "Seja mais isso" "Seja mais aquilo" Viram como essa coisa de opinião dos outros sempre retorna? Imaginem só! Acabei que durante um bom tempo fui pra lá de comportada, quietinha, só pra não frustrar ninguém. O que não deu certo, já que eu estava frustrando a mim mesma... Depois que comecei a me ver infeliz, a me ver cabisbaixa pelos cantos, chorando por não ser aceita, tomei uma decisão. Daquele dia em diante eu seria eu mesma, doa a quem doer. O que nunca foi verdade, já que muitas vezes deixo de ser sincera até comigo para não magoar as pessoas. Mas no fim, sempre acabo jogando tudo pro alto e ligando o "foda-se." 

Sofri bullying na escola por alguns anos, no começo, era chamada de gordinha, depois adquiri uma mania de piscar várias vezes só porque achava legal, então, fui apelidada de pisca-pisca. Engraçado, né? Pois é, na época eu não gostava muito hahaha. Então cresci, e quando completei 11 anos comecei a emagrecer. Lembram no primeiro parágrafo quando eu disse que sou da paz? Então... Quando eu completei 13 anos, logo que entrei na Agência de Modelos, algumas meninas começaram a me empurrar no intervalo, me xingando, mesmo sem ter uma razão. Eu nunca fiz nada, claro. Ficava quieta, chorava, chorava e chorava. Eu achava, realmente, que tinha amigas naquela época.. Porém estava enganada. Essas meninas, não satisfeitas, num dia qualquer me derrubaram no pátio da escola e disseram-me que iriam me bater. Minhas "amigas" da época, me ajudaram, disseram que se as meninas fizessem alguma coisa, elas "entrariam no meio". Tolinha, não? Enfim... O final vocês já sabem: Acabou que minhas "amigas" saíram correndo e eu também, chorando. Sempre pra asa da minha mãe. Que, coitada, tinha que ir quase todos os dias me buscar na escola e quando perguntava ás meninas o motivo da confusão, elas apenas diziam "Não gosto dela. Por isso." Depois dessa coisa de novela mexicana, voltei a sofrer bullying ano passado. A mesma coisa: As meninas, eu chorando, minha mãe me ajudando, enfim... Desde então, ergui a cabeça e decidi que ninguém mais a abaixaria! 

No quesito relacionamentos, na real, sou um fracasso. Como sempre odiei rotina, monotonia, acabou que meu único namoro, não deu certo. Namorei apenas 9 meses, jurava estar eternamente apaixonada pelo cara. E adivinha? Eu estava errada, novamente. Mas acabou que dessa relação tirei valiosos aprendizados, e até hoje, sou mais esperta e parei de acreditar em tudo que me dizem, principalmente em um "Eu te amo." Hoje em dia ainda sou muito fechada para meus sentimentos, um eterno cadeado sem chave. Acabou que eu me tornei mais fria, mais doída e menos amorosa. Sou muito decidida. Aquela coisa de "8 ou 80" é comigo mesmo! Num dia qualquer, acordei e tive um sonho com um cara incrível! Não sabia quem era, mas senti que era o cara certo. E adivinha? Esse sonho me fez largar a mão de tudo! Joguei pro alto o Francês, e até mudei de opinião sobre o emprego que eu sonhava. Estava tudo perfeito, somente o cara do sonho que nunca apareceu de verdade. Porém até hoje encaro ele como "mudança" entendo que eu tive que sonhar com o bendito para rever os meus gostos e provar a mim mesma o que eu realmente queria. 

Na escola, sempre fui estudiosa. Minha faculdade dos sonhos? Direito! E não é pelo dinheiro, é pelo amor. Sou daquele tipo de gente que ainda tem fé nas pessoas, e sendo assim, acredito que todos merecem uma segunda chance, e de certa forma, um recomeço. Ainda sonho em escrever um livro, mas vai ser meio difícil, já que mudo de opinião repentinamente. Imagino meu livro, que será no começo "Relacionamentos. Logo depois, na segunda página, Séries preferidas." Loucura, não? Pois é! 

E se você conseguiu ler até aqui e pensar "Que garota doida!", parabéns! Esse é o intuito da coisa. Não fui feita pra pensar como todo mundo, muito menos para seguir os padrões. Se todo mundo gosta do Amarelo, eu vou com certeza gostar do Azul. E não é birra, eu sou assim, de verdade. Nem todo mundo acompanha minha linha de raciocínio, e pudera, nunca foi muito certa. E no final disso tudo, ainda te pergunto: Quer ser feliz? Faça como eu... sonhe mais, que no final, te garanto, dá tudo certo!

sábado, 25 de maio de 2013

Ela nunca soube o porquê, ele sempre entendeu.





“Você não se lembra muito bem como se apaixonou por ele, foi uma balada, uma música muito alta, uma troca de olhares e pronto. Foi assim, não foi? Foi antes da sua amiga dar-uma-de-louca e vomitar em seu vestido caro. Ou foi depois? Tanto faz. Você gostou dele assim que o viu, sorriu discretamente, mas ele era um pouco estúpido. Não entendia muito bem, meio sonso pra falarmos a verdade. Você, como é mulher de atitude, foi falar com ele. Deu seu telefone, mas o desgraçado não ligou. Então você ligou pra ele, fez mil joguinhos daqueles que a gente faz no começo de toda relação, mas estava cansada disso. Cansada da balada-maluca, dos vômitos da sua amiga, cansada de sempre tomar a atitude, correr atrás. E antes que virasse uma história, virou ponto final. Você sai á rua, sozinha, por que precisa ouvir seus pensamentos, seu coração realmente agora há de falar, há de dar opinião sobre a vida que anda vivendo. É, ele não tem gostado. Você entra num café qualquer da cidade, pede um expresso número nove e senta-se à mesa, perto da vitrine, olhando lá fora casais passeando, felizes, crianças brincando e, enxerga, mesmo de longe, uma garota sozinha. Sentada numa pequena escadaria, cabisbaixa. Você pensa “Pelo menos alguém no mundo como eu...” mas observa que logo um rapaz chega perto dela e consegue ver o sorriso largo dela aparecer rapidamente. E ainda pensa novamente: “Escravos do amor.” Não consegue compreender o porquê de essas pessoas precisarem tanto de alguém para ser feliz, você tem vivido tão bem sozinha. Não é? Não, não é. Acrescentando mais um pouco de açúcar em seu café e observando a sua barriga nada malhada, pensa na idade chegando. Vinte e seis anos, julgada muito nova para alguns, e.. “Deveria estar casada” por outros. Alguém senta ao seu lado, mas você, na defensiva, logo diz: “Não gosto de companhia.” Ele retribui: “Eu também não. Mas não há mais lugares.” Você impressionada com a hostilidade dele, logo diz “Tudo bem, eu saio.” Mas ao olhar pra ele, vê, pela primeira vez o que nunca encontrou em balada nenhuma: Uma paz incrível desejada, na balada declarado o pegador apaixonado, na sociedade declarado um humano qualquer, mas pra você, você o declarava “O Esperado.” Nunca soube o porquê, mas era assim. O Esperado. Você apenas sorri, e ele pede desculpas pela falta de educação e paga a conta, e ao invés de você oferecer seu telefone, ele já o pede. “Não vai ligar.. É homem.” Você imagina. Sai dali e continua a andar, quando recebe uma ligação. “Queria que... Você gravasse meu número também.” “E como sabe que eu realmente tinha dado o número correto?” “Se não desse, eu procuraria. Por que eu te esperei muito.” Puf, deu certo! Ela nunca soube o porquê, ele sempre entendeu. Apenas isso. Deu certo. Era pra ser. Foi.” 
 - Letícia Mucci

Um cantor pra adicionar na sua playlist: Marcelo Jeneci!

Oi meninas, tudo bem? Então... Já conhecem o Marcelo Jeneci? Não? Então continue lendo e saiba mais sobre esse cantor que ganhou um lugarzinho especial nas playlists de muita gente por ai... Inclusive na minha! Acho que muitas meninas já ouviram essa música, já que é tema da Isabella e do Leandro, de Malhação. Eu, não pude ficar mais apaixonada com essa música, né? Adoro essa calmaria que ele traz ás músicas, é tudo muito... Perfeito. Sim, essa é a palavra! Nascido em São Paulo, Jeneci foi criado pela mãe paulista e pelo pai pernambucano, apaixonado por Roberto Carlos e instrumentos musicais. Cresceu embalado pelas estações de rádio populares e trilhas sonoras de novela. Mais de 25 anos depois, ele e a família se emocionavam cada vez que ouviam as canções do jovem compositor – “Amado” (parceria de Jeneci com Vanessa da Mata) e ”Longe” (assinada com Arnaldo Antunes) – nas novelas de uma das principais emissoras de televisão do país. Depois de tudo isso, aposto que assim como eu, você também está ansiosa pra ouvir mais músicas dele, certo? Então, bora lá!




E aí, gostaram? Aposto que já ficaram apaixonadas por esse som tanto quanto eu. É maravilhoso, né? É música pra escrever, pensar, namorar e virar trilha sonora pra vida inteira!

Bom, é isso meninas. Beijos e até o próximo post! Se cuidem... L.M.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Que tal mudar a decoração do seu quarto?

                      
Uma vontade que eu sempre tive foi a de decorar o meu quarto do meu jeito. Quem nunca, né? O problema mesmo é o dinheiro, já que um decorador, papel de parede e todas as outras coisas são caras... Mas, enfim, quem disse que não se pode ter um quarto lindo feat criativo, gastando pouco? Por isso, trouxe fotos de quartos simples, lindos e que podem te inspirar... Bora dar uma olhada? 


                      
Luzes na cabeceira da cama! Precisa falar mais alguma coisa? Não jogue o pisca-pisca da árvore de natal fora, nem deixe-o mofando, simples.. Use-o no seu quarto e deixe-o estilo tumblr. Além de lindo, ele fica iluminado e pra lá de fofo, né? ♥


 
                     

   
E que tal optar por um quarto vintage? Essa é uma ótima opção para as meninas mais delicadas... Assim como eu! Tons pastéis e claros são o ponto chave para uma decoração assim. Os móveis de madeira e esse espelho deram um ar todo especial ao quarto. Gostaram?
                     
E quem disse que livros e quadros não podem mudar um ambiente? Já pensou? Seus livros favoritos dando um tom de decoração á sua escrivaninha. ♥
                      
Lindo e muito fácil de fazer! Clique nesse link aqui que ele vai te direcionar a um site de origami. Depois disso, é só fazer e pendurá-los. Faz toda a diferença, né? Achei um charme! O legal é que você pode fazer com estrelas, corações... Do que você quiser!


                     
Que tal dar uma de artista? É simples fazer isso! Escolha uma estampa de seu gosto e desenhe com lápis     de escrever apenas para ter uma noção... Logo após, pinte ao seu modo. Vale a pena lembrar que o contorno das manchas são feitas com textura, o que deixa muito mais interessante e criativo!






E aí, depois desses quartos, você vai ficar aí parada? Saia do básico! Mão na massa! Beijos, L.M.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Apresentando: A autora e o blog!

                     Olá, girls... Como vão vocês? Bom, eu nunca fui muito boa em me apresentar, portanto, paciência!
Mas enfim, vou começar falando um pouco sobre mim: Completei 15 anos em abril, estou cursando o 1º ano do Ensino Médio e adoro escrever! Moro numa cidade chamada Icém, bem pequena, que fica mais ou menos há 7 horas de São Paulo. Sou modelo, porém não é algo que eu goste de fazer, já que gosto mais de escrever, pensar, e como modelo não consigo captar a essência das coisas. Meu signo é touro, sou mega viciada em nutella, séries e computador. Sempre quis ter um blog, mas nunca fixei a ideia. Já tive alguns blogs, mas eu sempre desanimava e acabava excluindo-o. Mas a vontade de contar pro mundo quem eu sou, me moveu e cá estou eu com um novo blog. Bem, o blog carrega o meu nome, pelo simples fato de que meus antigos blogs eram sempre descartáveis e passageiros. Como por exemplo, Adoradora de Babacas, devido há algumas decepções amorosas. Acabava que eu sempre olhava pro nome, e pensava: Droga, não é bem assim que as coisas funcionam. Não sou eu de verdade. E bom, que nome melhor para me expressar, além do meu? Até porque não é algo nulo, eu continuo sendo a Letícia, daqui há 5 minutos, ou daqui há 5 anos. Sou eu. Apenas em constante mudança, constante aprendizado. Mas sou eu! Bom, o blog vai falar sobre moda, textos, conselhos, decoração e várias outras coisas. Espero que goste. Bora conferir tudo isso e muito mais? Te vejo por aqui, beijos e até a próxima!